Arquitetura, Empreendedorismo, ONG

7 passos práticos para a sustentabilidade empresarial

sustentabilidade empresarial

Em tempos de grandes desastres naturais e tragédias ambientais causadas direta ou indiretamente pela ação humana, um conceito ganha força no ramo corporativo: a sustentabilidade empresarial.

Os empreendimentos mais modernos que eu conheço fazem desse tema um dos pilares para gerar e ampliar sua competitividade no mercado. O impacto de tal conduta não só integra a empresa com a sociedade como também motiva o empreendedor a ter uma melhor gestão — afinal, seu negócio ganha relevância social.

Quer tornar suas operações e rotina de trabalho mais sustentáveis? Na sequência, eu trago algumas dicas para isso. Você também vai entender melhor por que é tão importante colaborar na prática com o meio ambiente saudável para todos.

Conceito de sustentabilidade empresarial

Eu costumo dizer que a sustentabilidade empresarial vai muito além de cuidar da natureza, pois ela corresponde a todas as ações de uma organização a fim de contribuir para uma sociedade mais equilibrada — estou falando de distribuição de renda, saúde, educação e qualidade de vida.

Embora muitos empreendedores encarem o assunto como obrigação, eu garanto: trata-se de uma responsabilidade que você tem consigo mesmo, seus colaboradores, família, comunidade ao redor e a coletividade como um todo.

A expressão ganhou notoriedade com o sociólogo britânico e guru corporativo John Elkington no fim dos anos 90. Ele ressaltou a importância de avaliar, além do desempenho financeiro da empresa, seu impacto na economia, na sociedade e no meio ambiente para medir seu sucessoFFS. As três últimas esferas formam o tripé da sustentabilidade empresarial, também conhecido como “triple bottom line”, responsável por mudanças significativas nas estratégias gerenciais.

Quando alguém abre uma indústria ou comércio, ele visa o lucro, correto? Pois bem, o erro está em achar que ou você tem sucesso financeiro com seu negócio ou faz algo significativo pelo bem social, mas, na verdade, um não exclui o outro.

A sustentabilidade empresarial norteia a boa gestão, estimula o crescimento corporativo ordenado, forma empreendedores e colaboradores éticos, engajados e comprometidos com a coletividade da qual, inclusive, você e eu fazemos parte.

Impactos da sustentabilidade empresarial

Adotar práticas sustentáveis não serve meramente para valorizar a marca ou melhorar sua reputação no mercado, a sustentabilidade empresarial também orienta a boa administração e prioriza o meio ambiente. Em outras palavras, no final, todos os cidadãos se beneficiam com a prática.

Impactos na empresa

Um dos motivos para investir na área é atender à regulamentação para o exercício legal da atividade econômica. Destinar inadequadamente resíduos sólidos e esgoto sanitário da empresa à natureza, por exemplo, pode acarretar na prisão do sócio.

Além de orientar a conduta do gestor no processo decisório e dar segurança jurídica a quem empreende, a adoção de práticas sustentáveis estimula a competitividade e fortalece o nome de seu negócio no mercado. Nesse contexto, temos o Índice de Desenvolvimento Sustentável (ISE) criado pela Bolsa de Valores de São Paulo, a Bovespa, que mostra aos investidores quais empresas têm tal preocupação social.

Em última instância, adotar medidas dessa categoria perpetua o bom funcionamento de todo negócio, uma vez que o meio ambiente equilibrado é imprescindível para suas operações. Falo, inclusive, de aspectos básicos, como ter água de qualidade para fabricar seus produtos.

Impactos na sociedade

Quando um empreendimento investe em sustentabilidade empresarial, a área ganha estímulo para desenvolver novas tecnologias que vão, por exemplo, buscar fontes alternativas para a geração de energia.

A preocupação nesse âmbito também evita práticas como o desmatamento e a contaminação das nascentes. Se engana quem pensa que o impacto de tais medidas é sentido apenas pela população ao redor da instalação da empresa: a escassez de recursos naturais e o aquecimento global afetam toda a sociedade.

Se cada estabelecimento fizer sua parte, a quantidade de lixo produzido diminui, assim como a emissão de CO2 na atmosfera. Por consequência, as pessoas ganham em qualidade de vida e segurança, uma vez que a atividade econômica não degradará o meio ambiente — essencial à saúde humana e existência do planeta.

Sustentabilidade empresarial na prática

E, afinal, quais passos práticos podem ser adotados no ramo corporativo para a preservação da natureza? Trago 7 sugestões de fácil implementação e altamente proveitosas na sequência.

1. Fazer coleta seletiva

A separação correta do lixo ajuda a aumentar a vida útil dos aterros sanitários e facilita o processo de reciclagem. Estabelecimentos comerciais, principalmente, trabalham bastante com material plástico e embalagens de papelão, que demoram centenas de anos para se decompor.

Separe as lixeiras por categoria em locais de alto fluxo de colaboradores e clientes, acondicione o material em local limpo, seco e arejado até o momento de ser recolhido. O empreendedor também pode firmar parceria com outras empresas e cooperativa local para a coleta ser feita adequada e periodicamente.

2. Estimular o transporte alternativo

Como seus colaboradores vão para o trabalho? Encoraje o uso de bicicletas, patinetes elétricos, ônibus, vans e metrô para seus profissionais fazerem o trajeto. As cidades estão cada vez mais preparadas para receberem usuários de transportes alternativos, como os ciclistas.

Aplicativos internos de carona também vêm ganhando espaço nas grandes empresas, mas a negociação permitida nos apps pode ser feita pessoalmente em pequenos negócios. Além de amenizar impactos no meio ambiente, essa medida ainda aproxima os membros da equipe, colaborando para a comunicação no trabalho.

3. Economizar água

Trata-se de uma das principais ações de sustentabilidade empresarial — afinal, 5 bilhões de pessoas podem ficar sem água até 2050, segundo a ONU. Já ouviu falar no reúso desse recurso natural?

Muitas empresas estão investindo em sistemas de captação da chuva a fim de tratarem e, posteriormente, utilizarem a água para irrigar plantações, abastecer cisternas e realizar a limpeza das instalações. A economia também pode ser maior se os encanamentos estiverem sem vazamentos e as torneiras com fechamento automático.

4. Eliminar lâmpadas incandescentes

As lâmpadas fluorescentes gastam cerca de 60% a menos, apresentam uma maior vida útil e emitem quantidades bem menores de gás carbônico — isso quer dizer que uma única unidade é capaz de evitar a emissão de meia tonelada de CO2 à atmosfera.

Existem lâmpadas fluorescentes dos mais variados formatos e tamanhos, para pequenos e grandes ambientes. Portanto, fique atento para a reciclagem apropriada desse item, porque sua composição é de mercúrio e fosfato, requerendo destinação especial quando for descartado.

5. Uso consciente do papel

Estamos em um momento de avanço tecnológico em que toda a gestão do seu negócio pode ser feita por meio digital. Digitalize processos, promova a comunicação digital, armazene arquivos em nuvem, reconfigure as impressoras para economizarem papel e os reutilize como rascunho quando puder — tais atitudes ainda diminuem gastos com impressões desnecessárias, cartuchos e toners.

O armazenamento em software evita, ainda, a preocupação do empreendedor com arquivos físicos e a deterioração de documentos importantes.

6. Diminuir os descartáveis

Já pensou na quantidade de plástico que vai para o lixo no cantinho do café? Como a bebida é requisito indispensável na rotina de trabalho de vários profissionais, que tal aderir ao uso de copos de vidro ou canecas?

Indústrias e estabelecimentos comerciais também costumam ter cozinha para uso dos colaboradores, onde pratos e talheres desse material descartável precisam ser abolidos. Incentivar a utilização de squeezes, além de fazer bem para a saúde do trabalhador — uma vez que ele tomará mais água — ainda substitui o uso de copos plásticos.

7. Respeite as leis ambientais

Como falei, a sustentabilidade empresarial não é apenas um conceito, mas, sim, uma necessidade. Ela é tão importante que o meio ambiente saudável é direito social, responsabilidade não apenas do Estado, mas de toda a coletividade.

Lei de Crimes Ambientais deve ser levada ao pé da letra no ramo corporativo, inclusive para evitar sanções de órgãos como o Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente). Aqui também entram questões de compliance, sendo indispensável a observância às normas legais para a segurança jurídica e bom funcionamento da empresa.

A conscientização dos colaboradores

Quero ressaltar que não existe hábito ou comportamento inofensivo. Tudo que fazemos gera alguma consequência, por menor que seja, e por isso, é melhor unir esforços ao máximo para reduzir o quanto for possível os impactos da atividade corporativa.

Nesse sentido, instruir e treinar os colaboradores é imprescindível, já que perpetua na equipe a preocupação dos gestores. Empreendedor, seus profissionais precisam conhecer os efeitos dos processos e de que forma as operações podem prejudicar a natureza para atuarem, inclusive, de forma preventiva, evitando e minimizando os danos.

Tal comportamento impede grandes catástrofes naturais e sociais, doenças e morte da população em torno do empreendimento, contaminação da água, do solo e poluição do ar, entre outros eventos impactantes ao meio ambiente.

Diante disso, fortalecer a cultura organizacional para promover a sustentabilidade empresarial em seu negócio é fundamental. Quando a empresa se preocupa com o conceito, os colaboradores são influenciados. Ou seja, eles levam em consideração as diretrizes, crenças e políticas repassadas pela direção para a sua atuação profissional.

Independentemente do da atividade econômica, alcance, segmento ou faturamento, cada pessoa deve enxergar a si mesma como um agente responsável dentro de um contexto maior. No fim das contas, todo mundo sofre quando o meio ambiente é maltratado ou negligenciado.

Empresa e sociedade se beneficiam quando uma boa política de sustentabilidade empresarial é implementada. Se quiser aumentar a competitividade e perpetuar a atividade de seu negócio no mercado, é bom colocar as medidas que eu elenquei em prática pelo seu bem e de toda a coletividade.

Se você gostou das informações que passei, para estimular ainda mais seu sucesso, assine a minha newsletter e fique ligado em tudo que eu publico aqui, no Blog Cristina Boner.

Previous Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *